Paulo Gonzo de luto: pai do cantor atropelado por PSP

Virgílio Paulo, pai de Paulo Gonzo, perdeu a vida no Hospital de Santa Maria, depois de ter sido vítima de atropelamento por um carro-patrulha que seguia em marcha de urgência.

  O cantor perdeu o pai na tarde de segunda-feira, dia 21, num atropelamento brutal que aconteceu perto da igreja de Benfica, em Lisboa. O progenitor de Paulo Gonzo terá atravessado a estrada pela parte de trás de um autocarro, no exacto momento em que um carro patrulha da PSP seguia em marcha de urgência. A viatura transportava três detidos e acabou por abalroar o homem, de 82 anos.
Poucos minutos depois do acidente que aconteceu perto das 14h00, o pai do cantor foi transportado pelo INEM ao Hospital de Santa Maria, mas já pouco havia a fazer e o homem acabou por falecer na unidade hospitalar. Os médicos tentaram reanimar Virgílio Paulo durante mais de 45 minutos, mas sem qualquer sucesso.
Paulo Gonzo – bem como a mãe – terá sido avisado do acidente e da morte do pai por um vizinho. Na rua onde tudo aconteceu, a polícia limpava, depois do acidente, as marcas de sangue que ficaram no pavimento. Sobre o funeral do pai do cantor, até ao fecho da nossa edição nada se sabia, uma vez que a família, provavelmente, irá esperar pela chegada dos três irmãos de Paulo Gonzo, que vivem fora do País. A Maria tentou entrar em contacto com o cantor – que já terá conversado com o agente que conduzia o carro que abalroou o pai – e com o seu manager, João Pedro Ruela, da Músicas do Mundo, mas até ao fecho desta edição não nos foi possível obter qualquer comentário sobre o sucedido.

Polícias acompanhados por psicólogos

Após o brutal acidente, os agentes que seguiam no carro solicitaram a ajuda de psicólogos, que ainda na segunda-feira estiveram na esquadra e agora os vão acompanhar nos próximos dias.

FONTE: Maria

Anúncios

Adeus a Whitney com ex-marido e funeral na Internet a partir das 15h00

Kevin Costner dirá algumas palavras no serviço fúnebre. Aretha Franklin e Stevie Wonder vão cantar. Opah, Beyoncé e Ray-J entre os convidados.

  Depois de muita especulação sobre se teria sido convidado para o funeral da cantora, chega a confirmação: Bobby Brown, ex-marido de Whitney, vai mesmo hoje à cerimónia, em Newark.
  “Bobby estará no funeral para apoiar a sua filha [Bobbi Kristina, de 18 anos]. Algumas pessoas estavam zangadas com ele, mas é só pela dor. Ele estará lá”, assegurou fonte próxima da família à revista ‘People’.
  O rapper de 43 anos foi casado com Whitney Houston durante 15 anos (1992-2007) e é tido como principal responsável pelo vício em drogas e consequente degradação da cantora. Whitney foi encontrada morta num hotel em Beverly Hills, há uma semana, aos 48 anos. A autópsia foi inconclusiva, mas o site TMZ diz que a morte resultou de uma mistura de álcool e fármacos. Os resultados finais serão conhecidos daqui a seis semanas.
  Outra presença de destaque no funeral é Kevin Costner, que contracenou com Whitney na sua estreia cinematográfica, em ‘O Guarda-Costas’ (1992), que dirá algumas palavras. Clive Davis, gestor da carreira da artista, é o orador da cerimónia que conta ainda com Ray-J, namorado da falecida, Beyoncé, Jay-Z, Elton john e Oprah Winfrey. Aretha Franklin, madrinha da cantora, e Stevie Wonder protagonizam os momentos musicais.
  O funeral decorre às 17h00 (hora de Portugal) e será transmitido on-line a partir da Igreja Baptista de Newark.
  A cantora será enterrada no cemitério Fair View, em Westfield, New Jersey, onde repousa também o pai.

FONTE: Correio da Manhã

Max Edgar em estado grave – Mecânico Vítor Mendonça foi ontem a enterrar em Moncarapacho. O músico está internado no Hospital de São José

  O músico Max Edgar Martins, interveniente no acidente de viação que, segunda-feira, causou uma vítima mortal, na ligação de Olhão à Via do Infante, continua internado no Hospital de São José, em estado grave.
  Um familiar do baterista disse ao CM que o jovem estava na Unidade de Cuidados Intensivos, ventilado, com uma fractura num membro inferior e lesões na coluna. Deverá ser intervencionado logo que o seu estado de saúde o permita.
  Por sua vez, a vítima mortal, Vítor Mendonça, foi ontem a enterrar no cemitério de Moncarapacho, onde o mecânico estava estabelecido.

FONTE: Correio da Manhã

Inquérito confirma que o excesso de álcool matou Amy Winehouse

  O médico legista que autopsiou Amy Winehouse confirmou que o excesso de álcool foi mesmo a causa da morte da artista, não existindo no entanto vestígios de substâncias ilegais no seu organismo. Os indícios recolhidos durante a investigação levaram à descoberta de que a cantora esteve na farra após três semanas sóbria e a pol´cia encntrou ainda três garrafas de vodka no seu aartamento, após a sua morte. Nas análises realizadas ao corpo de Amy foram encontradas 416 miligramas de álcool por 100 mililitros de sangue. “Sentimos uma espécie de alívio porque finalmente sabemos o que aconteceu”, comentaram ontem os pais da estrela da música, através de um comunicado.

FONTE: Jornal de Notícias

Amy Winehouse não bebia há três semanas – Garrafas de vodka mortais

Inquérito legal revela que cantora tinha 4.16 de álcool no sangue

  Foi internada cinco vezes em coma álcoolico e dias antes de falecer, a 23 de Julho, disse à sua médica que “não queria morrer”. Mas nem isso a deteve. Na noite fatídica, Amy Winehouse, que não consumia nem álcool nem drogas há várias semanas, “bebeu até cair” três garrafas de vodka. As conclusões são do inquérito legal divulgado ontem em Londres, onde é revelado que a cantora sucumbiu ao excesso de álcool no sangue: 4.16 g/L – cinco vezes mais do que o permitido por lei para conduzir no Reino Unido.
  Suzanne Greenway, responsável pelo inquérito, afirmou na audiência no Tribunal de St. Pancras, que “a ingestão de tal quantidade de álcool depois de três semanas de abstinência levou à morte acidental” da autora de ‘Black to Black’, aos 27 anos, e que também o baixo peso de Amy se tornou fatal.
  Estas conclusões vêm dar razão a Mitchell Winehouse, pai da artista, que desde o início negou a tese de overdose avançada pelos tablóides britânicos. Para tal, muito contribuiu o longo historial de problemas com drogas e álcool da britânica, agravados após o casamento com Blake Fielder-Civil, tabém ele com probleas relacionados com dependências.
  Christina Romete, édica de Amy Winehouse há vários anos, revelou que a alertou “para os efeitos que o álcool iria ter no seu organismo, incluindo probleas respiratórios e cardíacos”. Mas a cantora, acrescentou, “queria sempre fazer tudo à sua maneira. Queria viver, mas à maneira dela.”
  Uma das imagens de marca da cantora era, recerde-se, beber vinho durante os concertos. Um hábito que se revelou fatal.

SAIBA MAIS:

Família Judia: Amy Winehouse nasceu em Londres no seio de uma família judia. O pai era taxista e a mãe farmacêutica.

5 Grammys: Cinco Grammys foram conquistados pela cantora na sua curta mas premiada carreira.

2003: Foi o ano da sua estreia com o álbum “Frank”. No entanto, foi ‘Back to Black’ que a catapultou para a fama.

Desilusão em Lisboa: Em 2008, Amy desiludiu a plateia do Rock in Rio Lisboa ao ‘cantar’ embriagada.

FONTE: Correio da Manhã

Morreu guitarrista David Edwards

O guitarrista norte-americano David Edwards, tido como um dos últimos nomes dos blues dos anos 30, morreu anteontem, em Chicago. Apesar de ter 96 anos, “Honeyboy” mantinha-se activo e deu os últimos concertos em Abril, no Mississípi. Foi o autor de canções como “Just Like Jesse James”, “Long Tall Woneb Blues” e “Gamblin’ Man”.

FONTE: Jornal de Notícias

Jani Lane morre aos 47: ex-vocalista da banda Warrant foi encontrado sem vida num hotel de Los Angeles

O cantor Jani Lane, vocalista da banda norte-americana Warrant durante 16 anos – abandonou o grupo definitivamente em 2008 -, foi encontrado morto num hotel de Woodland Hills, Los Angeles (EUA), rodeado de bebidas alcoólicas e medicamentos.
A polícia foi chamada ao local pelos funcionários do Comfort Inn e encontrou o músico, de 47 anos, já morto. Jani Lane, que tinha casa em Redondo Beach, estava sozinho e, apesar de serem conhecidos os seus problemas de toxicodependência, a autópsia revelou-se inconclusiva. A banda lamentou o sucessido em comunicado.

FONTE: Correio da Manhã