Músicos vão protestar contra despejo

  A Associação Recreativa e Cultural de Músicos (ARCM) de Faro protesta, dia 04 de Dezembro, contra a acção de despejo da sua sede há 20 anos que foi emitida pelo Tribunal Judicial de Faro, a 01 de Outubro. O desfile, que começa pelas 09h30 na sede da ARCM, passa pelo Mercado Municipal, Teatro Lethes, rua de Santo António e termina no coreto do Jardim Manuel Bivar.
  A ARCM pretende dar “visibilidade à possibilidade de dezenas de projectos musicais, grupos de teatro, dança e outros que se desenvolvem na sua sede serem obrigados a ficar na rua com todos os seus intrumentos musicais, equipamento sonoro ou material cénico”.
  A acção de despejo foi desencadeada pelo actual senhorio, a 28 de Janeiro deste ano e, contestada pela ARCM a 09 de Março.

FONTE: Correio a Manhã

Miley Cyrus apanhada aos beijos

  Miley Cyrus foi fotografada aos beijos com o jovem actor canadiano Avan Jogia, na festa do seu 18º aniversário, em Los Angeles. Segundo o site Just Jared, os dois trocaram beijos horas antes de a cantora participar na festa de entrega dos ‘American Music Awards’. Já em Outubro, Miley e Avan foram notícia por passarem bastante tempo juntos. Chegou-se a especular sobre um eventual romance, uma vez que a cantora terminou o seu namoro com o actor Liam Hemsworth.

FONTE: Correio da Manhã

Campanha da Gucci: Jennifer Lopez em cocktail

  Jennifer Lopez, que posou com os seus gémeos, Max e Emme, para a nova campanha da linha infantil da Gucci, não faltou ao cocktail de apresentação do atálogo. Nas imagens, a cantora e actriz aparece com os filhos numa praia, mostrando os seus rostos pela primeira vez desde que posou com eles para a revista ‘People’. “É a primeira vez que trabalho com os meus filhos. Foi uma experiência comletamente especial”, afirmou. A Gucci promete fazer uma doação à Unicef.

FONTE: Correio da Manhã

O Walkman morreu. Viva o Walkman!

O primeiro leitor de música portátil, considerado “um dos maiores símbolos de status” pelo jornal The Wall Street Journal, deixou de ser fabricado pela Sony. Recorde a sua história.

  Quem cresceu nos anos 80 ou 90, lembra-se dele com saudosismo. Tempos em que fazer cópias não era “pirataria”, a rádio era gravada, as cópias passavam de mão em mão, as cassetes eram ouvidas vezes sem conta e a música não era descartável: a era do walkman.
  O leitor tem raízes fixas nos anos 70. Com o uso do transistor, vieram as aparelhagens portáteis. Com a reestruturação da Sony, e, 1979, a empresa apresentou o walkman, feito a partir de leitor de cassetes, o Pressman, e auscultadores.
  O director e fundador da Sony, Akio Morita, viu nele um grande potencial de mercado. Então, a Sony enviou exemplares para pessoas influentes, celebridades e artistas. O walkman era para todos. A “walkmanmania” começou logo em 1980. Rapidamente, outras empresas como a Toshiba e Panasonic viram o seu potencial e lançaram os seus modelos. Mas o público preferia comprar os modelos mais baratos, de marcas desconhecidas. O sucesso deve-se muito a estas marcas, que generalizaram o uso dos leitores de cassetes. Em 1983, todos queriam um walkman.
  Proibiu-se a condução com auscultadores e referiu-se eventuais problemas de audição, mas nada prejudicou o walkman. Na era em que a MTV entrava no ar com Video Killed the Radio Star, os adolescentes ouviam hard-rock com o volume no máximo. O fosso geracional aumentava e os jovens aderiam aos gadgets.
  Surgiu também a indústria de acessórios, de auscultadores a colunas portáteis. Os preços baixavam com o acréscimo de funções. Em 1985 muitos modelos tinham equalizador e funções de auto-reverse. Quase todos os modelos passaram a usar apenas duas pilhas em vez de quatro e a Panasonic introduziu o sintonizador de rádio estéreo.
  O princípio do fim deu-se em 1986, ano em que a Sony anunciou o D-50, o primeiro discman. O som “perfeito” do CD levou à venda do discman e à cópia pelas outras empresas. Mas o walkman continuou popular, pois a cassete ainda era a melhor forma de ouvir música – de forma barata. Com os anos 90, a magia do walkman começava a desaparecer, lentamente substituída pelo discman ou pelos mini-disc. Com a Internet, o walkman foi ferido. Mas o tiro final foi o MP3. A música tornou-se digital, de fácil acesso, massificada.
  Mas este aparelho mudou a nossa percepção da música e tornou-se num ícone, o primeiro gadget com alma. Companheiro de viagens, tardes no quarto e dias de praia, de cassetes novas, velhas ou emprestadas, de melhores amigos, preimeiros e segundos amores, de alegria e revolta adolescente… O walkman esteve presente em todos esses momentos. Viva o walkman. Nunca serás esquecido, velho amigo.

FONTE: Focus

A música de Michelle Obama

  Michelle Obama tem influência em toda a sociedade. Até os músicos lucram com isso. A primeira-dama americana disse publicamente admirar profundamente o músico de jazz Herbie Hancock, de 70 anos. Desde então, o conhecido e reputado músico tem atravessado um verdadeiro comeback. O emblemático artista norte-americano irá actuar nos próximos meses por toda a Europa, começando pela Alemanha.

FONTE: Focus