Frank Sinatra reeditado

  A Universal Music Group adquiriu os direitos internacionais para as gravações de Frank Sinatra no catálogo Reprise. Vai ser reeditado ‘My Way’, pelos 40 anos deste álbum.

FONTE: Domingo

Anúncios

Les Paul(1915 – 2009)

O Fascínio pelo som das cords de metal a vibrar levou-o a criar a primeira guitarra eléctrica de corpo sólido. Guitarrista virtuoso e pioneiro na gravação áudio em multipistas, marcou as décadas de 40 e 50 com a sua música.

  A professora de piano escreveu à sua mãe com uma certeza: “o seu filho, Lester, nunca aprenderá música”. Estava enganada. É verdade que Les nunca aprendeu a tocar piano, mas tornou-se um virtuoso executante de guitarra e em 1941 inventou a primeira guitarra eléctrica com corpo sólido.
  Les Paul demorou 10 anos a aperfeiçoar a sua criação como funcionário da Gibson Guitar Corp e em 1952 foi lançado o primeiro modelo com o seu nome, a Gibson Les Paul. Tornou-se um marco da indústria musical e a guitarra preferida de grandesnomes do rock & roll e da pop. Ainda hoje influencia a música.
  Além de ser considerado o pai da guitarra eléctrica, Les Paul foi também pioneiro da gravação em várias pistas e do overdubbing, a sobreposição de vozes e de instrumentos. A grande vantagem era poder tocar váras notas de música a um ritmo normal e, depois, acelerar a reprodução das notas e juntar outras parecendo um exímio executante. E fez o mesmo com a gravação de voz, utilizando vários microfones, juntando e sobrepondo o som como se fosse um trio que estivesse a cantar, embora fosse sempre só a sua mulher. Foi essa inovação que o catapultou para o estrelato da música nos Estados Unidos durante as décadas de 40 e 50 – juntamente com a voz da segunda mulher, Mary Ford.
  Paul e a mulher lançaram vários discos e tornaram-se um fenómeno da rádio com a criação de muitas das músicas do imaginário dessas décadas: The Tennessee Waltz (1950), How High The Moon (1951), Mockin’ Bird Hill (1951), Tiger Rag (1952) e Vaya Con Dios (1953) foram os seus sucessos.
  Nascido LesterWilliam Polfus a 15 de Junho de 1915, em Waukesha, no estado do Wisconsin, Les Paul adorava ouvir música country na rádio e começou a tocar harmónica e banjo muito cedo. Quando tinha 13 anos, assistiu a um espectáculo de música com um grupo de cowboys, decidiu tornar-se músico e começou a actem bares.
  Aos 17 anos abandonou a escola para ir tocar com uma banda em Saint Louis e, no fim da década de 30, formou o seu primeiro trio. Mudou-se para Nova Iorque e tornou-se um astro da rádio nacional, quando ainda não havia televisão.
  No início dos anos 40, aventurou-se na electrónica e na amplificação simplesmente por não gostar do som da ressonância da madeira provocada pela vibração das cordas nas violas e porque sabia que asnotas da sua guitarra não se ouviam além das primeiras filas: “o que eu queria era amplificar a vibração pura da corda, sem a ressonância da madeira”.
  Em 1947 começou a actuar com Iris Colleen Summers e mudou-lhe o nome para Mary Ford – escolheu ao acaso, numa lista telefónica. Um ano depois, em digressão pela América, sofreu um acidente de caro – caiu de uma ponte e ficou com parte do braço direito esmagado. No hospital disseram-lhe que não poderia tocar cm o gesso e Paul obrigou o médico a colocar-lhe o gesso com o braço num ângulo inferior a 90 graus para poder tocar. Dois anos depois, casou-se com Mary. O divórcio aconteceu em 1964, com a carreira dos dois já em baixa.
  Les Paul dedicou-se então à gravação de som e enfrentou problemas de saúde – artrite nos dedos e cirurgia ao coração – mas nos anos 80 e 90 tocou todas as semana em clubes de jazz.
  A sua influência na música rock e pop é reconhecida por todos. Paul McCartney disse-lhe uma vez sobre a sua influência no quarteto de Liverpool: “tu criaste os Beatles. Se não fosses tu, não tínhamos existido”.
  Morreu em Nova Iorque no dia 13.

FONTE: Sábado

Sting: Ele não percebe nada de sexo

  Afinal, Sting não é um especialista em sexo tântrico. A rvelação foi feita ao jornal Mail on Sunday por Coco, a filha de Gordon Sumner, ex-baixista dos Police. As supostas performances de Sting foram inventadas por Bob Geldof, e nasceram de uma conversa descontraída entre os ois músicos. “Estávamos na brincadeira a falar das horas que passávamos a fazer sexo”, contou há uns tempos o próprio Sting.

FONTE: Sábado

Casa do Jazz – cultura em Cascais

O investigador João Moreira dos Santos quer instalar em Cascais uma ‘Casa do Jazz’. Será um espaço multifuncional, que se pode desdobrar em residência para músicos idosos, museu, escola e meio de intervenção social e cultural do concelho, isto segundo o próprio. Este projecto tem pernas para andar, pois António Capucho (presidente da Câmara de Cascais) lhe terá garantido: “Vamos construir essa Casa do Jazz”.

FONTE: Correio da Manhã

Rock One fecha com tampões para os ouvidos

Os The Offspring fecharam ontem o Rock One numa noite em que quem foi ao autódromo de Portimão recebeu um saco com tampões para os ouvidos, como sugeriram os My Bloody Valentine, num prenúncio de noite barulhenta. Coube aos setubalenses The Doups aquecer uma plateia ainda mal composta ao cair do dia. Ultrapassados os problemas com o equipamento, estiveram em bom nível sob o olhar atento de Kevin Wasserman (The Offspring). Seguiram-se os Tara Perdida, com o vocalista João Ribas a dirigir-se ao público à quinta música, com uma plateia composta, prevendo-se uma enchente ao nível da primeira noite, com os Linkin Park.
Na véspera os James estiveram em grande forma e tocaram dois temas do EP que será lançado no inicio de 2010. The Waterboys encerraram na sexta-feira.

FONTE: Correio da Manhã

Casa do Jazz – Cultura em Cascais

  O investigador João Moreira dos Santos quer instalar em Cascais uma ‘Casa do Jazz’. Será um espaço multifuncional, que se pode desdobrar em residência para músicos idosos, museu, escola e meio de intervenção social e cultural do concelho, isto segundo o próprio. Este projecto tem pernas para andar, pois António Capucho (presidente da Câmara de Cascais) lhe terá garantido: “Vamos construir essa Casa do Jazz”.

FONTE: Correio da Manhã

Rock One fecha com tampões para os ouvidos

  Os The Offspring fecharam ontem o Rock One numa noite em que quem foi ao autódromo de Portimão recebeu um saco com tampões para os ouvidos, como sugeriram os My Bloody Valentine, num prenúncio de noite barulhenta. Coube aos setubalenses The Doups aquecer uma plateia ainda mal composta ao cair do dia. Ultrapassados os problemas com o equipamento, estiveram em bom nível sob o olhar atento de Kevin Wasserman (The Offspring). Seguiram-se os Tara Perdida, com o vocalista João Ribas a dirigir-se ao público à quinta música, com uma plateia composta, prevendo-se uma enchente ao nível da primeira noite, com os Linkin Park.
  Na véspera os James estiveram em grande forma e tocaram dois temas do EP que será lançado no inicio de 2010. The Waterboys encerraram na sexta-feira.

FONTE: Correio da Manhã